Olá leitores!

Faz um bom tempo que não faço uma publicação estilo diário ou depoimento, então resolvi fazer isso hoje mesmo!

Estamos em Agosto de 2014 e no final do mês passado fez 10 meses que estreei no mundo do fisiculturismo e fiz minha primeira competição como BIKINI Fitness… Agora em julho, consegui ter o privilégio de participar do meu 6º campeonato – o Brasileiro da IFBB – o maior campeonato do Brasil! Uma honra, ainda mais ao receber o título de vice campeã… Confiram os campeonatos que participei e minha colocação em cada um deles (todos no estado de SP):

1- Mr. Guarujá – 09/13 – 6º lugar

2- Copa Litoral – 11/13 – 3º lugar

3- Work Iron – 12/13 – 2º lugar

4- Estreantes IFBB SP – 04/14 – 3º lugar

5- Paulista IFBB – 05/14 – Campeã OVERALL

6- Brasileiro IFBB – 07/14 – 2º lugar

 

Gi antes e depois no brasileiro 2

Foto 1: Mr. Guarujá (09/13) – Foto 2: Brasileiro IFBB (07/14)

 

Tudo começou com uma simples curiosidade em saber como seria ter muita disciplina com os treinos e dieta com o desafio de mudar meu corpo, me adequar à um padrão existente e subir ao palco. Isso mesmo: treinamos e controlamos a dieta para chegar a um padrão pré-estabelecido pela federação! Muitas pessoas confundem isso… acham que fisiculturismo é um concurso de beleza ou quem tem mais músculos, ou quem tem o melhor abdômen ou os melhores quadríceps, etc… não é assim: os juízes avaliam nosso físico baseado geralmente no padrão estabelecido pela atual campeã mundial.

 

Como muitos sabem, sou nutricionista de formação e a intenção de começar a competir e entrar no mundo fitness foi o de ser uma melhor profissional e agregar valor ao meu trabalho, expandir meus conhecimentos, conquistar mais clientes, etc. Sou muito feliz e grata, pois essa ideia deu muito certo! Passei o ano de 2013 todo me preparando e consultando os clientes e posso dizer que sentir na pele toda a rotina de preparação me ajudou a ser uma profissional bem melhor! Mas ao passar dos meses e principalmente quando fiz as primeiras competições, resolvi parar de atuar como nutri por diversas razões:

 

 

1º pelo tempo e dedicação: é como dizem – não dá p/ ser muito bom em 2 coisas, então tive que optar… eu já trabalhava como nutri há mtos anos e a profissão não estava mais sendo novidade ou um desafio muito grande pra mim, então preferi ir atrás do desafio de virar atleta… e outra: eu trabalhava bastante e tinha que treinar bastante e várias vezes ao dia também, então estava difícil conciliar os dois…

 

2º – apesar de ser apaixonada pela nutrição e pela profissão de nutricionista, uma nova paixão foi despertada em meu coração e um novo sonho apareceu… a vida toma rumos que nunca imaginamos muitas vezes… e foi isso que aconteceu comigo! Uma novidade apareceu em minha vida, eu me apaixonei e resolvi assumir os riscos e consequências disso: eu teria que criar outras formas de manter uma renda financeira e me dedicar ao fisiculturismo que não fosse atuar como nutri;

 

3º Conflitos éticos com o CRN – Começou a ser difícil conciliar os trabalhos e divulgações como atleta Giovana e manter a profissão de nutri pelo fato de ferir o código de ética do nutricionista, como por exemplo: o nutricionista não pode indicar marcas de suplementos ou alimentos, não pode fazer parcerias com lojas de suplementos ou alimentos, não pode divulgar e/ou vender produtos relacionados à nutrição com fins comerciais, não pode usar de sensacionalismo p/ se promover, não pode fazer vídeos ou artigos falando de determinado produto ou marca, etc. e como eu estava fazendo esse tipo de trabalho (que é permitido para o atleta), resolvi pedir essa baixa temporária no CRN p/ não ser mais considerada nutricionista e parar de vez com as atuações de nutri, mantendo só os trabalhos como atleta Giovana.

 

 

Hoje, após 10 meses de iniciação nas competições e após 6 meses de licença do CRN, posso dizer que TUDO MUDOU EM MINHA VIDA! Não vou dizer que tem sido fácil, muito pelo contrário… para ser atleta você tem que abrir mão de muitas coisas… e no meu caso, além de abrir mão das coisas normais como comidas, bebidas, vida social, viagens, baladas, passeios, restaurantes, etc., eu resolvi abrir mão da minha profissão também… então além das dificuldades físicas e psicológicas que o excesso de treino e a falta de comida trazem, estou tendo que lidar diariamente com as dificuldades em manter minhas finanças e descobrir formas de trabalhos que não envolvem a nutrição – que é o que sei fazer, mas não posso mais por opção minha, então, essa luta diária está me ensinando milhares de coisas… hoje vejo a vida, as pessoas, as oportunidades, o dinheiro e a comida (rs) de uma forma diferente… eu tenho amadurecido muito com isso e reinventado a mim mesma a cada dia!

 

Apesar das dificuldades, estou feliz com essa minha decisão de mudar de vida e encarar um novo desafio! Hoje sou vice campeã brasileira e agora estou me organizando para começar a competir no exterior… ou seja: um novo desafio novamente! Uma vida cheia de desafios muitas vezes é mais difícil, mais sofrida, mais preocupante, porém, é aquela vida que nos trará mais oportunidades e chances de realização… é isso que busco pra mim: uma vida de muitos aprendizados, contorno de obstáculos e vitória!!!

 

Agora é hora de virar BIKINI INTERNACIONAL!

Obrigada a todos que acompanham meu trabalho e torcem por mim! Sucesso em dobro para vocês!

PALESTRA GRATUITAS • EMAGRECIMENTO E HIPERTROFIA•
x